Aeroporto Pinto Martins (Fortaleza) não ficará pronto para a Copa, diz Ipea


Conforme apresentado no blog do jornalista Fernando Rodrigues, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou nesta quarta-feira (13), em Brasília, que obras de readequação em 9 de 13 aeroportos brasileiros, incluindo Fortaleza, não ficarão prontas até a Copa do Mundo de 2014. Mesmo tendo reservado R$ 5,6 bi para utilização da Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero), a informação é de que seriam necessários cerca de 92 meses (7 anos e meio) para cumprimento de todas as etapas necessárias nos aeroportos.

A conclusão tem como referência os seguintes dados: são necessários 12 meses para elaboração do projeto, 38 meses para liberação da licença ambiental, 6 meses para a licitação e 36 meses para as obras.

Conforme descrito no artigo do Ipea, “as conclusões são alarmantes” e citou o exemplo de Manaus. Na capital amazonense, se a continuidade das obras acontecerem dentro dos prazos médios observados no Brasil, a conclusão dos trabalhos só acontecerão em 2017.

Ainda segundo o instituto, “mesmo que fosse possivel concluir os investimentos nos terminais de passageiros nos prazos previstos pela Infraero, a situação dos 13 aeroportos das cidades-sede da Copa de 2014 continuaria de sobrecarga”. No caso do Aeroporto Internacional Pinto Martins, na capital cearense, o movimento previsto de passageiros para 2014 será de 7,4 milhões de passageiros, porém o local suportaria apenas 6 milhões – o que geraria uma sobrecarga de 123%.

Além de Fortaleza, outras cidades que sofrerão superlotação nos aerorpotos são: Manaus (79,2%), Salvador (105,1%), Brasília (115,1%), Sâo Paulo (Guarulhos, 112%), Campinas (66,8%), Cuiabá (111,6%), Belo Horizonte (Confins, 125,1%), Porto Alegre (122,2%), Curitiba (105,6%), Rio de Janeiro (Galeão, 68,9%), Natal (186%) e Recife (108,6%).

Mesmo com este problema a ser vivenciado pela estimativa do Ipea, os aeroportos de Curitiba (PR), Galeão (RJ) e Recife (PE) devem ficar prontos a tempo.

No artigo publicado, o Ipea afirma que “a análise do plano de investimentos para os 13 aeroportos da Copa sugere que as obras foram planejadas com subdimensionamento da demanda futura”. E conclui: “”os resultados são preocupantes”. (Com informações do Blog de Fernando Rodrigues / Uol)

Participe. Deixe seu comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s